quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vingança nacional de vaidades nominais




Conhece o Pedro Coelho?
E o Aníbal Silva!? E o José Barroso?

Conhece, pois claro que conhece, embora lhe tragam memórias de esquecer!

Mas a vaidade míope, o pedantismo e o provincianismo façam com que esta gente seja conhecida por outros apelidos.

É a cumplicidade bajuladora de jornalistas que lhes besunta o sangue, a fingir azulado em nome do empoamento do estatuto e camuflagem da origem. Como se nascer aldeão ou em família pobre fosse pior que sarna!

Porque raio citam o Durão pelo seu nome completo, José Manuel Durão Barroso e o Aguiar é sempre escrito com hífen e como está no Cartão de Cidadão!?

Pequenez. Só a pequenez justifica a adoção dos nomes completos nos jornais e nas televisões. Pequenez de quem impõe tal parolice aos assessores de imagem e pequenez de quem a transmite.

Ai se eles soubessem a velha anedota da mamã pimpona...

Perguntou pelo filho Vasco André de Segóvia Silvestre Blanco e Espírito Santo Pimenta de Albuquerque Bettencourt e ninguém o conhecia. Até que, pela descrição, um colega se lembrou:
– Ah, sim, é o Batata!

Pela mesma razão o português comum se vinga dessas saloias designações. Só se lhes refere como o Passos, o Durão, o Aguiar e o Cavaco.

Mesmo os aduladores que lhes fazem vénias na cara...

----

Sem comentários: